POR DO SOL NO ITAROQUÉM


Saio, vagarosamente, após o desfastio, monarquicamente
servido pelos da casa.
Vislumbra-se um dos mais belos espetáculos
produzidos pela natureza. Aprecio-o!
Creio, sem demérito, nem o Pai Maior conseguiu
constatar o que aqui se passou e se
formava.
Um dos evetos mais belos tecido pela Mãe Natureza
exibiu-se.
Finas texturas de matizes inimitáveis.
Sob o testemunho de milhões de astros
que pareciam confirmar nossa estupefação!
Logo, uma fileira de menires cooperativados, transportam,
imóveis, em sua alma energia que alimenta e
transforma sonhos em novas esperanças...
Perspectivas de vida melhor para o simples usufruir.
No Itaroquém e no Rincão de Santo Ignácio
não se espera, com ansiedades que chegue o fim do mês.
Cada dia é um novo dia!
Se espera que a momentos oportunos
caiam sobre nós as abençoadas vibrações
Do Grande Mestre da Natureza.
Que tudo, em harmonia, fique como está!
Que o vilipendiado progresso fique longe;
do contrário haverá dúvidas e apreensões!
Queremos e fazemos votos que sempre estejamos
em observação.
Ainda, os desfastios da manhã, do zênite, que quando
à pino traz relâmpagos de energia, manifesto
nas silentes águas do derredor, alegremente.
Desabrocham pétalas dos hibiscus e das rosas
anunciando o coaxar das rãs,
nem sempre benvindas!
Harmonia que só a força onipresente
em sua miraculosa vibração
Nos brinda sem almejar retornos.
Daí, volto "as casas", extasiado!
Lembro de PAZ, de alegria, das
Singelezas inerentes, de novas idéias
e novos ideais.
Bondade que os que estão lá longe nos legaram.
Finalizo, simbolicamente genuflexo
em penhor a esta maravilhosa
Jornada nas santas terras
dos campos finos do Santo Ignácio do Itaroquém!


anatolio pereverzieff, escrito no dia do meu aniversário, em 3 de abril de 2007.
na Fazenda Cinamomo!


Comentários

Postagens mais visitadas