Osmar, o Engenheiro

Outro dia, de passagem pela vila, paramos para buscar
temperos na horta comunitária, que de comunitária só tem
o engenheiro Osmar, todos o chamam assim, por carinho, dada
sua engenhosidade.
Ele semeia, planta,limpa, colhe, armazena, distribuiu quando
preciso e dá a quem pede. Nunca diz não tem!
Sempre tem.
O povo da Vila Itaroquém é bem servido.
Surpresa na frente da sua residência: amarrado ao lado do portão
uma roda de ferro coberta de borracha maciça. Logo aduzi tra-
tar-se de roda de um veículo mil novecentos e dez, mais ou menos.
Logo pedi para ser guardada em um museu; logo será antiguidade -
um século!
Osmar, o engenheiro orgulhoso de possuir tão digno troféu disse
também que conseguiu até retrato do auto que o utilizava.
Este poderoso rodado, que certamente levou muita gente importan-
te a muitos lugares e talvez por isso era um troféu de imensurável
valor.
Com exagerada curiosidade pedi para ver a foto, para reproduzí-la e
então mostrar a todos.
Após longa busca, ofereceu-me, não sem antes explicar direitinho
para sua jovem amada do que se tratava, do interesse por tal artigo.
Passou-me às mãos uma brochura do "MOVA".
Movimento de Alfabetização de Adultos - e recomendou que a foto
do "auto" estava lá dentro. Não estava.
Dúvidas.
Retomou o livro, folheou-o folha por folha até que encontrou. Está
aqui. Está escrito auto!
Eram nove desenhos de automóvel antigo, com claros logo abaixo
para que fossem completados. Letra por letra - a u t o m ó v e l -
até aprender a "acuierá as letra".
O amigo João Luís não se continha de tanto riso.
Não deu a roda, nem o livro, porque tem ânsia de poder aprender
para ler a bíblia em suas entranhas e então ajudar mais, pois além
da horta quer também cuidar das coisas da alma e do espírito.
Continua amigo. Fomos embora com saudades e com os temperos
na mão.
O João Luís ainda não parou de rir...
E o engenheiro sem malícia, cândido, simples e inocente, quer apren-
der mais para usar com habilidade e simetria outros instrumentos
como a régua grande, nível, prumo, maço, cinzel e outros aparelhos.
Obras físicas já fez muitas.
Quer novos aperfeiçoamentos.
Salve o amigo Osmar!

-----------
"Mais vale passar silenciosamente e sem desassossegos grandes.
Sem amores, nem ódios, nem paixões que levantem a voz, nem
invejas que dão movimento demais aos olhos".

Fernando Pessoa.
----------

Comentários

Postagens mais visitadas