domingo, 7 de novembro de 2010

Libertad - tango cancion

Con ansía me diste la miel de tu encanto
y así nos amamos con honda pasión;
pasaran los años lo mismo que un sueño,
dichoso a tu lado con tanta emoción.
Así a tus amores atado he vivido
hasta que el cansansio mi vida golpeó
y yo por no hacerte sufrir he callado
diez meses muy largos fingiéndote amor.

Y a vos
hoy lo mismo que a mí te sucede
también...
el hastío tu vida llenó...
no quieres dicirlo por miedo a que sufra
y callas fingiendo lo mismo que yo.

Por eso...
es que quiero con mi confidencia
decirte...
sincero la pura verdad,
si estamos iguales y no nos queremos
que cada cual siga con su LIBERTAD.

Por fin ya lo sabes, no sufro, no temas
tu caso es el mío e igual la razón.
Amor de sentidos tan sólo fué el nuestro,
ms hoy el cansancio mató esa pasión.
Estamos a tiempo, seguí tu camino,
tu ideal yo no he sido ni el mío sos vos
por qué esta comedia de amores fingidos
quedemos amigos y libres los dos.

Letra de:  NAVAS, F. Mitre
Música de: MAGALDI, Agustin.

sábado, 6 de novembro de 2010

Eche Caña

!Eche caña, mucha caña,
no sea mezquino pulpero,
Eche que con ella quiero
Matar un dolor que araña,
Para seguir la campaña
Que el destino me ha trazao
Debo de vivir mamao
Porque mamado no siento
El pájaro del tormento
Que en mi pecho se ha anidao.

Eche caña que ella calma
El dolor que me liquida
Y cicatriza la herida
Que tengo aberta en el alma,
La caña es la mejor arma
Para matar los dolores
Y aunque digan los doctores
Que es un veneno mortal,
Yo digo que le hace mal
Al que no sufrió rigores.
Eche caña sin dudar

No mire con desconfianza
Si la plata no me alcanza
Tengo priendas pa empeñar.
Eche que quiero tomar
Una tranca soberana.
Que me dure hasta mañana
Sí es posible hasta pasado,
Porque estoy desengañado
Que la caña al alma sana.

Aquel que siente un dolor
Para sacarlo del medio
Busca alivio en el remedio
La esperanza en el doctor
Y yo cuando un sinsabor
O alguna pena me daña,
Busco el alivio en la caña
Sin recurrir a la ciencia
Porque en mi gaucha existencia
Ningún médico me engaña!

Letra de POMBO, Juan M.
Postei como uma curiosidade esta letra,
vejam que o alcolismo é um problema
crônico, que atravessa todas as épocas.
E o doente sempre tem razão.

Con La Otra - tango

Porque es blanca tu inocencia,
como tus sueños,
es más triste y más doliente tu soledad,
porque puede más tu angustia
cuando te mienten
que del brazo con otra me ven pasar...
He venido para hablarte serenamente;
he querido convencerte con la verdad,
pero sus amargos celos nada comprenden
y sólo me respondes:"es tarde ya".

Yo no sé quien es la otra,
si mi vida está en tu amor
?Dónde puede estar la otra,
sino en tu imaginación?
Otra no existe ya para mí;
sólo mi madre fué la otra,
y la perdí!

He tenido muchas veces por compañera
a la santa gaucha mía que me dejó.
Y del brazo por la calle, con qué alegría,
parecíamosnvios, riendo los dos.
Cuando un día quedé solo,
busqué en tu pecho
el calor que me faltaba para vivir,
y encontré tu amor querido, puro y sincero,
que por amargos celos veo morir.

Letra y música de: Lito Bayardo.

Madreselva - tango cancion

Vieja pared del arrabal
tu sombra fué mi compañera.
De mi niñez sin esplendor
la amiga fué tu madreselva.
Cuando temblando
mi amor primero con su esperanza
besa mi alma,
yo junto a vos
pura y feliz cantaba así
mi primera confesión:

Madreselvas en flor
que me vieron nacer,
y en la vieja pared
sorprendieron mi amor.
Tu humilde caricia es como el
cariño primero y querido
que siento por él.
Madreselvas en flor que
trepando se van
es tu abrazo tenaz
y dulzón como aquél.

Si todos los años
tus flores renacen
hacé que no muera
mi primer amor.
Pasaron los años
y mis desengaños
yo vengo a contarte
mi vieja pared.

Así aprendí
que hay que fingir
para vivir decentemente,
que amor y fe
mentirass son y del dolor
se ríe la gente...
Hoy que la vida
me ha castigado
y me ha enseñado
su credo amargo,
vieja pared
con emoción
me acerco a vos
y te digo como ayer.

Madreselvas en flor
que me vieron nacer
y en la vieja pared
sorprendieron mi amor.
Tu humilde caricia.

Este tango é de 1931, Letra de: AMADORI, Luis Cesar
                                  Música de: CANARO, Francisco.

Sueño de Juventud (vals)

I

Sufres porque aleja
la fe de un mañana
que busco afanoso
tan sólo por ti...
Y es un collar de estrellas
que tibio desgranan
tus ojos hermosos
llorándome así.

II

Sueño de juventud
que muere en tu adiós;
tímida remembranza
que añoraré.
Canto de una esperanza
que ambicioné
acariciando tu alma
en mi soledad.
Mi pobre corazón
no sabe pensar,
y al ver que lo alejan de ti 
sólo sabe llorar,
sólo sabe gemir
sangrando al morir
en tu adiós...

I - bis

Lírico amor primero,
caricia y tortura,
castigo y dulzura 
de mi amanecer.
Yo acunaré en tu canto
tu inmensa ternura,
buscando en mi cielo
tu imagen de ayer.

Letra y música de: E. SANTOS DISCEPOLO.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O País que queremos!

É o melhor de todos os outros. Mas para que isto aconteça é preciso que a vaidade humana, sobretudo da classe política, sempre vilipendiada, baixe a guarda e assuma seu papel patriótico, cívico e com alta moral.
Estamos sempre numa encruzilhada para decidir. Hoje com os meios de comunicação entrando e saindo todo momento de nossos lares, trabalho, empresas...
Mas, nós temos uma responsabilidade social muito grande, que se chama "escolha" do nosso futuro mandatário, que não é mais nada nem menos nada do que um líder que proporciona através do Senado Federal (A câmara e o senado), suas propostas de governança.  Orçamento em primeiro lugar, leis de responsabilidade fiscal, que deveriam ser exempladas com todo rigor quando há malversação de fundos.
Nosso sistema de Governo é uma Democracia Representativa. Nós escolhemos nossos representantes nos três níveis e eles nos representam. Se nada fazem, ou fazem mal, ou fazem coisas erradas não temos como corrigir. O órgão que pode verificar é o tribunal de contas e em última instância o judiciário.
Vamos escolher bem para não sofrermos a angústia de termos de esperar mais quatro anos para tentar mudar.
A Constituição de 1988, chamada de "Constituição Cidadã", como se não fosse feita para os cidadãos, e as outras as antigas não eram cidadãs? Tem seus inúmeros erros, falhas que com o tempo deveriam ser corrigidas e não foram. Alterar ?
Dificilmente esta classe de políticos, com raras excessões nada vai querer mudar. Lembram-se do caso do desarmamento? Foi feito um plebiscito com perguntas capciosas e o povo respondeu o que realmente queria!
Mas, temos um dever a cumprir, então sigamos este caminho, com análises criteriosas sobre o nosso futuro político.
O Brasil precisa de novos desafios, porque é um País grande demais para pequenas ambições.
Liberté, Egalité et Fraternité.

Por-do-Sol


Acho que não existe algo mais belo do que o astro rei se pondo ou nascendo! A foto  foi tirada em agosto/2010 na região dos campos finos do Itaroquém (Portão de Pedra). Os temperadores de cutelaria deixam o aço ficar com a cor do sol de agosto, depois de pronto seu trabalho atiram na água para esfriar e dar o que chamamos de têmpera.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Esperança de Mãe

Cadê teu gesto meigo e sincero?
Aos pouquinhos foi sumindo
Acho que foi o vento mau que
Levou embora.
Cada dia olhas pela janela de tinta
descascada, de cor apagada.
Será que vens hoje?
O barulho do sapato na calçada
Anuncia sua chegada.
Abriu bem  seus olhos e esperou
Que fosse verdade. Pálida não
Ouviu nenhuma voz amada.
Foi  o pássaro que pousou na
Janela.
O brilho da personalidade não
Esmaeceu;
Não perdeu o vigor!


Obs: Estas belas letras e de saudosa memória
foram escritas em 25 de Fevereiro de 2010,
por Rozana Marin.

En vivo | Canal Encuentro

En vivo | Canal Encuentro

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A Guerrilha, parte VIII

A Guerrilha, parte VII

A Guerrilha, parte VI

A Guerrilha, parte V

A Guerrilha, parte IV

A Guerrilha, parte III

A Guerrilha, parte II

A Guerrilha, parte I

Buda de Ouro

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Poema do Perdão

Eleva,
Ó minha alma,
O teu perdão
A esses remotos céos,
Que te viram soffrer,
Transe a transe,
A tua dôr,
Sem que uma estrella tombasse,
Para te vir socorrer...
Baixa,
Ó minha alma,
O teu perdão
Até a alma sombria
Da terra.
Que te viu chorar,
Lagrima por lagrima,
A tua amargura,
Sem te fechar nos braços,
Sem te apertar ao peito,
Sem te guardar dentro della...
Extende,
Ó minha alma,
O teu perdão
Como um tapete de rosas brancas,
- Extende-o sobre a vidca,
E dorme,
E aquieta-te no teu somno
Como num perfume...
.. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. .. ..

Eleva,
Ó minha alma
O teu perdão
A esses remotos céos...

.. .. .. .. .. .. .. ..

MEIRELLES, Cecília
Nunca Mais...
e Poema dos Poemas, 1922.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Brasil Destemido

Brasil! Nessa cruel metamorfose
Pela qual o Mundo está passando,
Que a tua glória jamais repouse
Nos que vivem com a cobiça sonhando...

As tuas tradições serão mantidas
Pelos teus filhos firmes e unidos!
Os quais tem decisões mui destemidas;
É a voz dos filhos nunca vencidos!

Brasil! Grande Pátria rutilante!
Tu sempre reinarás bem orientado,
E afagando tua imagem deslumbrante,
Estão os louros imortais dum passado!

Tu já tens por sadia tradição,
Tua defesa ricamente alicerçada
Nas fibras de teu nobre coração,
Estampada em tua vida glorificada!

Autor: Domingos M. Cabral

Arma Ligeira

Esta canção é para ser cantada à cavalo.

Arma ligeira
Que transpõe os montes
Caudais profundos
Com ardor e glória
Estrela guia em negros horizontes
Pelo caminho da luta e da vitória
                bis
Cavalaria! ................
Cavalaria!.................
(Tu és na guerra a nossa estrela guia).
Montado sobre o dorso deste amigo
O cavalo que altivo nos conduz
Levamo-lo também para o perigo
Para lutar conosco sobre a cruz.
Cavalaria!................
Cavalaria!................

Arma de tradições
Que o peito embala
Cuja história é de luz e de fulgor
Pelo choque na carga ela avassala
E ao inimigo impõe o seu valor.
Cavalaria!...............
Cavalaria!...............
(Tu és na guerra a nossa estrela guia).
De Andrade Neves e Osório o Legendário
E outros heróis que honram nossa história
Evoquemos o valor extraordinário
Pelo Brasil a nossa maior glória.
Cavalaria!...............
Cavalaria!...............
(Tu és na guerra nossa estrela guia).

Dia 25 de agosto dia do Soldado!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

O trem das 7 - Mongólia,China,Rússia, - Revista Viagem e Turismo

O trem das 7 - Mongólia,China,Rússia, - Revista Viagem e Turismo

Momento Político - Reflexão

Começaram a nos tirar os bons momentos de lazer. Temos de olhar para caras-de-pau fazendo miraculosas promessas e cheios de ideias!
Pasmem: recentemente ligaram para minha casa, identificando-se como se fosse de importante órgão  de pesquisa; tratava-se de uma enquete sobre as próximas eleições. Logo a "moça" perguntou, depois de ter dado os necessários esclarecimentos, nível de escolaridade? Superior Completo e mais algumas graduações. Ah, não pode não! Tem outra pessoa na residência que não tenha curso superior?
Não, não tem. Deixarei os nossos números para que o senhor  possa checar as solicitações. Não carece não.
Desligou....

Tenho ojeriza a promessas, a ilusões disponibilizadas a uma maioria ignara, sem as mínimas condições de apertar teclas da urna eletrônica quanto muito a compreender nosso momento.

Meu avô paterno foi "exilado" por dois anos na Sibéria porque não era comunista! Gostava do livre-arbítrio, do ir e vir,  sem policia e dedos-duro ao lado, na vizinhança. Em todos os lugares os comissários deduravam. Isto que fora marinheiro da gloriosa frota russa, por cerca de dez anos.
Meu pai foi preso aqui por vinte e um dias por não era comunista! Era um intelectual que buscou formação na capital do Estado, saindo das agruras e das dificuldades da vida selvagem em que viviam, pois tudo tinha de ser feito por aqui. Tudo era mato, inóspito. A maior companhia eram as feras, e as dificuldades de locomoção.  Foi dedurado por um amigo. Chamado a depor durante a prisão, lhe foi perguntado porque fazia apologia ao comunismo quando o Governo não queria isto? Nada disso!
Havia um medo terrível de qualquer tipo de manifestação sobre política. Tudo o que havia era às escuras. Foi-lhe perguntado sobre um livro, ora bolas, tratava-se de um diário que contava a realidade em que vivia a Rússia na época da IIª Grande Guerra e em meio ao regime comunista, assaz violento.
Este livro fora escrito por um médico Argentino, adido da Embaixada.
São coisas da vida e coisas do tempo. Tudo é propaganda. A Elite diretiva tinha os maiores e os melhores privilégios, os demais a burocracia emperrada e o poder medíocre dos comissários do povo.

Vamos observar, vamos ser criteriosos nas nossas escolhas. Quero, ainda, gozar dos melhores e dos maiores privilégios que, constitucionalmente são dados ao povo, a totalidade, a maioria do povo brasileiro.

Nosso melhor, mais querido, mais amado bem é a LIBERDADE!

A França, ou melhor o povo francês fez uma revolução em 1789 para derrubar a oligarquia, cento e cinquenta anos depois, ainda não tinha conseguido os mais elementares objetivos propostos por aquela sublevação.

Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Liberdade sem ferir ou humilhar qualquer ser humano nossos patrícios e quem mais quer que sejam eles; Igualdade de direitos e de obrigações, sem aquela demagogia de dizer que o comunismo vai igualar a todos. Pode igualar a miséria de todos, a pobreza mas não reparte a riqueza e eis aí o seu gargalo. Cuidemo-nos dos "ismos".
Fraternidade, ainda deve ser o elo de ligação das pessoas na pátria, nos países vizinhos, no esporte, na faculdade ou nos primeiros livros escolares, e em todos os lugares. O exercício da fraternidade começa dentro de casa e não na rua.

E por fim, que tipo de fraternidade ouvimos falar em Cuba, Afeganistão, Venezuela entre outros?

Observemos...

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Fura Fila

Último dia para entrega da Declaração de Renda - Isento.
Brasileiro faz no último dia, não para validar, Mas para
ter graça.
Deixar para o último dia e hora é sinal de compromisso
cumprido!
Fila enorme.
Senhora distinta entra com formulário preenchido na mão
e fura fila.
Vai direto ao guichê e diz alto e bom som
"A minha é uma só."
Resmungos gerais pela falta de respeito.
Que vergonha!
Atendente alerta com educação que não pôde computar
porque seus dados estão em falta.
Retira-se. Volta com o formulário consertado
E fura fila novamente e diz
"A minha é umazinha só".
A senhora deve procurar a Receita pois está em
débitos anteriores.
Continuava com pressa por outros compromissos
e retirou-se rapidamente.
Restou consolo para os velhos e novos que  esperavam
pacientes e humildes sua vez!
Mais uma vez a vitória foi dos sensatos.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Segurança no Trânsito

Notícia boa hoje - um vereador que tenta cumprir sua missão pública - propôs o fechamento de uma rodovia e isto foi feito hoje a tarde. Somente neste ano morreram no trajeto BR 472 nove pessoas.
Não é uma monstruosidade contra o ser humano? Vejam os custos morais para os familiares, os custos com toda tramitação legal, soldados, hospitais, transportes, etc. É de ficar pasmado.

Amanhã tem audiência pública na Câmara de Vereadores para os que fecharam a rodovia, principalmente os que clamam por mais segurança no local, possam dizer de público seus anseios, suas sugestões, suas reivindicações. Só querem mais nada além de paz, somente paz.

Cabe aos setores públicos determinarem após ouvidas as partes, sanarem de vez o problema colocando lombadas eletrônicas nos pontos de vulnerabilidade!

Entre as vítimas da imprudência, muitos jovens, infelizmente. Não que os de mais idade não mereçam o carinho pela vida plena e saudável. Agora penalizar a população com trágicos acidentes porque o Alcaide-Mor não deseja ferir brios de terceiros... Tenha dó!

Está aí o poder judiciário, estadual e federal, a disposição dos usuários, basta que se encaminhe adequadamente o processo reivindicatório, pois tudo o que for para melhorar a vida das pessoas é justo e perfeito.

Vamos aguardar com ansiedade esta tão falada Audiência Pública, onde é certamente o foro dos debates pertinentes.

Coração e Alma unidos pela JUSTIÇA!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Os Direitos dos Cidadãos

Fiquei contristado há poucos dias porque perdi um amigo em acidente de trânsito, na rotatória de Santo Antonio das Missões-RS.
Antonio Garcia voltava de um trabalho comunitário e ao parar no trevo, aí que acontecem as fatalidades sem explicação, foi colhido fatalmente por uma carreta! Tragédia na família.  Garcia ainda se encontrava na plenitude da produção intelectual e física. Advogava pequenas causas...

Há muitos anos a estrada foi construída, cerca de quarenta anos. Desde lá muitos morreram ou ficaram mutilados. Não foi fechado trevo para fazer-se uma rotatória com a consequente diminuição da velocidade. Certamente acabariam de vez as tragédias. Nada foi feito feito. A comunidade timidamente foi olhar o fatal acidente e pediu providências. A quem? Ninguém sabe dizer a quem. O DENIT que é o responsável pela conservação da rodovia, da vida segura nas estradas, ainda não se manifestou. Uma pena. Vidas continuarão sendo ceifadas por interesses mesquinhos em nada fazer, nada mudar.

Enquanto os usuários não entraram em massa no judiciário para exercer seus direitos, ou seja a busca de indenização por danos morais e materiais nada será feito. Para isso, devemos ter em mãos os registros policiais, muitas fotos, necropsia e eventos pertinentes. Junte-se tudo isto e faça-se o processo com o concurso de um bom advogado. Um dia virá a solução, pois o último reduto dos desprovidos da sorte é o Poder Judiciário. Este pode  demorar mas dará solução!

O mesmo acontece  nas cidades, onde o descaso pelos transeuntes é simplesmente fantástico. Hoje mesmo presenciei um adolescente sendo socorrido pelos Bombeiros, pois havia caído em um buraco numa das principais ruas da minha cidade, quando circulava de bicicleta. Parei para vislumbrar aquele triste acontecimento.

Cabe também a todos os usuários o mesmo procedimento. Registro Policial, fotos do evento, notas fiscais de despesas médicas e outras, como de oficinas, no caso de veículos. Laudos técnicos são úteis também.

São os novos direitos do cidadão que deverão ser exercidos. Cada cidadão possuidor de documentos está apto a buscar seus direitos. E ninguém sobretudo os prestadores de serviços: município, estado e união não poderão ou não terão argumentos para negar a evidência dos fatos.

Cidadãos, homens e mulheres devem ser orientados para a busca plena dos seus direitos. Quando
um grande parcela conhecer o que o pode e o que não pode, as coisas poderão tomar novos rumos.

domingo, 11 de julho de 2010

Beleza em Flor

Penso muito na coragem que devo ter para exprimir
Proseando ou versar sobre uma coisa que tem provocado
Toda sorte de desafios.
Seu perfume, seu jeito, principalmente pela manhã
É enlouquecedor.
Sua beleza, sua raríssima formosura, parecem ser lábios
Pintados por aqueles que representam figuras nas 
Mais finas porcelanas chinesas.
Estão a nos desafiar todos os dias e o mais que causa
Apreensões, é que estes efeitos de demonstração, por curto
Espaço de tempo, que provoca a mente de qualquer ser que
Crê na beleza e na formosura, aquela que não tem valor
Monetário que pague. Aquela que só tem reciprocidade
Para quem ama, quem tem fineza de caráter, que tem a 
Alma limpa, fraterna, que brilha de dia e de noite.
Um número místico e cabalístico fez parte de sua vida.
Tanto fez parte que a cada dia alguém a cuidava com olhos
Aguçados e assim passaram-se vários anos.
Longos anos de espera!
Um dia fez seu próprio debut. Desafiava todos!
Olhem-me, contemplem-me, tal como fez Bonaparte
Na África, diante da pujança da esfinge e das pirâmides.
Séculos de permanência e profunda meditação.
Seu silêncio chama a atenção até dos mais descuidados
Seres, daqueles que nada percebem e que não tem nada
Para admirar e nada que lhes possa chamar a atenção
Não resistem e também passam a amá-la.
Chama-se "Cattleya".


Amigo

Certa tarde parou para um breve colóquio, porque perto morava, logo 
Perguntou porque você não vai à escola?
Pois olha amigo, não adianta chorar pelo leite derramado, optamos por
Privilegiar o do meio, na Capital, que queria o Parobé.
Tudo aconteceu! A vida lhe foi ceifada prematuramente. Maus momentos
Passados.
Na ocasião a alparagata já estava com a barba por fazer e outras coisitas
Mais também faziam falta.
Inconformado o amigo fez-me a matrícula, tendo satisfeito obrigações
Iniciais, de volta aos bancos escolares depois de alguns anos. Encabulado
Somente no primeiro dia, logo as amizades foram se revelando, porque
Todos queriam progresso.
Tudo foi se fortalecendo, aos que gostavam da pesquisa e da leitura a 
Biblioteca foi franqueada e também um pouco daquilo que à época 
Fervilhava: "Política".
Conhecemos o mestre do português que na aula toda semana levava coluna
do Sérgio da Costa Franco e alertava que este era dos bons pois sabia 
Escrever e sintetizar com exemplar simetria.
Na trajetória o amigo perde o pai. A progenitora queria, para si, de volta o
Rumor do Rio Uruguai e a paz dos justos, puros e limpos também para si.
E assim fez-se.
Anos passados, muitos, o amigo retorna em missão profissional e o inevitável
Encontro se dá.
Emoção forte, amplexo fraterno, lágrimas pelo reconhecimento, de lado a 
Lado.
Hoje ausência eterna. Longa ausência! Onde estás?
Espíritos amigos me dizem que um dia voltarás. 
Te espero!
Foi sem dúvida um dos acontecimentos mais marcantes na minha vida.
Dico Balbuena, amigo, me encontra sentado dirigindo uma grande agência 
Bancária. Eu lhe disse que devia isto à ele, pois nunca mais parei de estudar.
Esta página é inteiramente dedicada a quem acredita sempre em 
Possibilidades melhores e que é possível, com persistência atingi-la!
Leon (LEV) Tolstoi em seu magnífico legado cultural, dentre muitas pérolas,
Nos deixou esta: 
"Quanto mais o homem se elevar na escala social, quanto mais próximo
Estiver dos homens superiores, quanto maior for sua influência sobre os 
Outros mais evidente será a predestinação e a fatalidade de cada um dos
Seus atos".





sexta-feira, 9 de julho de 2010

Veículos Antigos em Colonia Del Sacramento



Colonia Del Sacramento


Solange em frente ao Palácio do Governo Estadual, ao pé da Estátua em bronze, do General Artigas.

Uruguay - 2010

Auto pista em direção à Colónia Del Sacramento, cerca de trinta quilômetros ornados com palmeira Fênix Canariensis, originária das Ilhas Canárias, daí seu nome.
Realmente ficamos boquiabertos com tanta beleza, limpeza e ordem no transito, onde as Leis são cumpridas à risca e sem loucuras, aquelas que nos deixam com medo de andarmos por lugares desconhecidos. Estamos num País culto, civilizado, ou melhor europeizado.


Uruguay, 2010



Entrada do Forte em Colonia Del Sacramento. 
Esta entrada era levadiça, com correntões enormes que a movimentavam, evitando assim o ingresso de eventuais intrusos, invasores, salteadores. Piratas!
Esta cidade foi erguida ou fundada em 1680. Dominada pelos espanhóis, depois portugueses, por ambos. Muitas guerras houveram neste tempo até que as coisas se acalmaram no século dezenove, com os tratados e o inventário feito entre Espanha e Portugal.
Muito interessante como fonte histórica do Uruguay como também sulamericana. 
Imposíivel não sentir emoções ao chegar perto desta pujante obra. Reconstruída parcialmente.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Beleza de Vida

Lembro quando criança
Ruas sem pedras
Avós trabalhando muito
E recebendo os netos
Escuridão porque o Bastiani não
Acompanhou a evolução!
Carroças, poucos carros, só para
Os bem ricos.
Miscigenação harmônica.
Mas de que adianta dizer da fartura
À época?
Florestas, veados, macacos, lavouras
Pujantes e muito trabalho.
D'outro lado do Rio também fartura
De invejar qualquer um!
A Vila Pratos, que poderia ter outro
Nome, foi receptáculo dos mais variados
Seres, a maioria veio do Leste, porque não
Aguentaram o frio da Sibéria. Preferiram
Logo a feitura de papéis e aqui logo aportaram.
Artesãos dos metais, da madeira e das boas
Artes aqui trouxeram novos progressos.
Logo a cidade grande os chamou para novas
Empreitadas...
Natalia Pavlovna Kritsky Bielewski demonstrou
Sua arte trazida da Academia Francesa. Belas telas
E ícones ornamentaram a Ortodoxa!

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Caos Generalizado

Estamos experimentando uma nova era, para pior, no nosso sistema de transportes, locomoção, no sistema de ir-e-vir. É para o trabalho, para o passeio ou para o turismo.
Desaprendemos a usar os meios coletivos porque a "charrete motorizada" nos leva mais rápido. Será que é mais rápido? Não é não!
Vejam o caos que está sendo experimentado nas cidades de porte médio para cima. Caos generalizado, demoras no transito, pessoas fora de controle por emoção ou por drogas, álcool, e outros estupefacientes. Gritaria porque o trânsito não flui.
Com as facilidades criadas pelo Governo, recentemente, isenção de tributos para compra de veículos 1.0, uma grande maioria que deseja ter o seu carrinho, artigo de alto luxo para os padrões econômicos brasileiros, já o tem. Lindo, setenta e dois meses para saldar a divida. Dívida de dois veículos. Vejamos: As produtos ou montadoras precisam desovar seus estoques, se tiverem de fazer isso o prazo será esticado para 80 meses, 100 meses e por aí afora.

Os juros que os Bancos estão absorvendo deste nosso precário e incipiente sistema de remuneração do capital é muito salutar para eles. Mais de 11% ao ano, quando a remuneração da caderneta não chega a três por cento.

Mas onde quero chegar?

Acidentes por estradas precárias, mau atendimento na rede pública de saúde, contratações de funcionários sem parar, para salvar o sistema e aí falta o principal na outra ponta, que são os profissionais da área e os remédios, para não citar ainda os leitos hospitalares. Vimos todos os dias o caos se solidificar e vira coisa comum. A vida das pessoas está banalizada; quem se interessa pelos outros? "Cada um cuida de si no mundo selvagem". Será esta uma atitude correta e adequada? A pergunta está lançada.

Estradas caóticas, faltam verbas. Não pensamos em duplicar, em ativar as balanças nas rodovias por 24 horas. Cito um exemplo: BR 285 há cerca de 60 dias foi entregue e já está destruída, ao menos parte dela, entre São Borja e Santo Angelo. Motivo: excesso de peso das carretas bi-trem!

Estamos construindo várias barragens e sequer se fala do transporte fluvial, com eclusas...

Não se fala do trem que é o transporte mais econômico e inteligente que existe. Nossos mandatários querem mais é exterminá-lo para trocar por ônibus e mais automóveis. Já era vez de termos um trem rápido em nossa região, com várias composições, além do transporte de cargas.

Enquanto isto, vamos continuar matando gente no trânsito, vamos continuar vendo o caos se instalar e se perpetuar em nossas cidades, onde o descaso pela conservação, pela limpeza, e conservação de ruas, recolhimento do luxo (digo luxo mesmo) alguns chamam de lixo. Este deve receber um tratamento melhor hoje, com a nova onda conservacionista!

segunda-feira, 17 de maio de 2010

ÔNIBUS MALUCO

De Porto Mauá a Santo Ângelo, pela manhã
Com retorno à tarde, antes da noite.
Com qualquer tempo.
O ônibus do seu Jacob não falhava.
De repente muita chuva antes de Giruá.
Com lotação completa, com dois esquifes
Vazios em cima, no bagageiro, para
Futuros inquilinos.
Em viagem novamente, um passageiro ataca
E é alertado que só há lugar em cima.
Ele sobe e logo vem um toró.
Abriga-se dentro do esquife e seguem viagem,
Tranquilamente.
Adiante mais dois pedem lugar e novamente
São alertados que só em cima;
Aceitam. Seguem adiante.
De repente seu Jacob esqueceu de que
Havia pela frente vários cruzamentos de trem
E foram todos vítimas de um enorme solavanco.
Abriu-se então o esquife e de lá de dentro
Saiu uma voz:
"Que bom que parou de chover."
Os dois outros pularam de cima do ônibus
E foram parar no hospital; um para
Remendar a bacia que havia se espatifado
E outro para braços e pernas entalar.
Bem que seu Jacob havia alertado!

Fato verídico acontecido em Giruá-RS- em
1939, em frente a Bailanta Kuplin. Há testemu-
nhas ainda vivos!

DISFRAZADO - Tango

Esta noche por lo visto con las luces encendidas
Que harmonioso se presenta el bonito carnaval!
Para aquellos que no sufren amarguras en la vida
Para aquellos que disponen, que jamás les faltó pan!
Ambulante y disfrazado con mi traje de miseria,
Arrojando débilmente serpentinas de aflicción,
Atravieso por el corso de mi única tragedia
Junto al lloro de mis hijos, sin alivio al corazón.

II

Pienso...
Que a mi rostro en realidad
Hoy lo cubre el antifaz
De la ironía fatal
De mi triste situación
Oigo...
Cuando suena la matraca,
Que la pena ya en mi casa
Ha rendido mi comparsa...
Y a Dios pido protección.

I (bis)

El eco de madrugada trae el vaivén de los coches
De seres que alegremente van vivando el carnaval;
Mientras me ha sido imposible dormir durante la noche,
Pensando para los míos poder conseguir el pan...
Seguiré quien sabe cuánto disfrazado de miseria
Con el rumbo lentamente hacia el gran "Palco Oficial"
Y en el mundo de los muertos terminarán mis tragedias,
Obteniendo primer premio si festejan carnaval!

De: Silva y A. TELLO

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Por-do-Sol no Itaroqúem, Sto.Antonio das Missões-RS

Por-do-Sol no Itaroqúem, Sto.Antonio das Missões-RS

PUNTAS DE FUEGO

El amor, frágil cadena
Formada de puros desengaños,
Experiencia de mis años
Que demuestre si envenena.
Amor fué escrito para dilema
Del confiado de imprudente.
Amor hoy, mañana y siempre
Fantasías sólo a mi ver
Amor de madre es querer
Todo lo demás, falso oro reluciente.

Naco la niña en su cuna
Adornada de cintas y sedas,
Y ya es mujer que se enreda
En hilos de la fortuna,
En suñoes de un iluso, oportuna
Figura es de encanto,
Caprichos, quejas y llanto
Ambas cosas en la realidad,
Pues ya mujer, tanta beldad,
Es sólo un amargo desencanto.

Y así se empieza a sufrir
Una vez marchitas las ilusiones
Cintas y sedas convertidas en crespón
Como si se dejara de existir.
Vanidosa ella, él sabe mentir
Y así mintiendo hablan de amor.
Ella es rica, él hombre de honor
No podía haber cosa más ideal.
Pero, tanta grandeza al final
Es también mentira y dolor.

Por eso digo, y es justo
Mirar la vida tal cual es.
Fuí reo, hoy juez
Y sentenciar no es mi gusto
Pues bien sé que asusto
Al cantar de esta manera
Más, amigo la verdadera
Bandera de parlamento
Se colorea de sentimientos
Y a todos los vientos, flamea.

Miente el grande, miente el chico
Se m iente en todo el universo.
Miente el ladrón si va preso
L mismo que el pobre y el rico.
Y, si hoy templado dedico
Estas ofensas al amor
Las hago porque el dolor
Me ha hecho maestro en el arte
De ver en que parte
Existe lo bueno o lo peor.

Autor: Francisco Angel D'ONOFRIO
ADIOS MUCHACHOS - TANGO

Adiós, muchachos, compañeros de mi vida,
barra querida de aquellos tiempos,
me toca a mí hoy emprender la retirada,
debo alejarme de mi buena muchachada.
Adiós, muchachos, ya me voy y me resigno
contra el destino nadie la talla,
se terminaron para mí todas las farras,
mi cuerpo enfermo no resiste más.

Acuden a mi mente
recuerdos de otros tiempos,
los bellos momentos
que antaño desfruté
cerquita de mi madre,
santa viejita,
y de mi noviecita
que tanto idolatré.
Se acuerdan que era hermosa,
mas bella que una diosa
y que ebrio yo de amor
le di mi corazón;
pero el Señor, celoso
de sus encantos
hundiéndome en el llanto
me la llevó.

Adiós, muchachos.

Dios es el juez supremo,
no hay quién se le resista,
ya estoy acostumbrado
su ley a respetar,
pues mi vida deshizo
con sus mandatos
al robarme a mi madre
y mi novía también.
Dos lágrimas sinceras derramo
en mi partida
por la barra querida
que nunca me olvidó,
y al darle a mis amigos
mi adiós postrero
les doy con toda mi alma
mi bendición.

Letra de Cesar P. VEDANI
Música de: SANDERS.





domingo, 9 de maio de 2010

Desfile de Celebridades

Custa crer mas que existem,
existem. E como!
São incautos que aos borbotões fazem-se
prósperos
diante de uma massa ignota, que nem
minimamente se manifesta, certamente
por ojeriza a demagogos oportunistas que desfilam
com soberba!
E, ainda, imitando ministrículos!

Outros, desconhecedores da verdadeira história
fazem apologia a regimes criminosos como se os
humanos nada valem. Possivelmente são
comparados a seres destituídos de quaisquer
sentimentos.

Prósperos são os livre-pensadores, os franco-
atiradores de idéias criativas e liberalizantes;
que não se prostituem pelo vil metal.

Vivemos o mundo dos "sem". Os sem-moral; os sem-
vergonha; os sem-consciência; os sem-...

Trabalhar, estudar, profissionalizar-se, adquirir pros-
peridade com honra e dignidade e servir como
bom exemplo. Os deserdados de herança se tornarão
livres, melhores cidadãos, possibilitando uma nova
"terceira-onda" de progresso!

quarta-feira, 5 de maio de 2010

CABEZA DE RATÓN - Tango

I

En este eterno andar a la deriva,
rodando siempre todos los caminos...
En la larga obsesión de hallar la meta
que ansioso busca nuestro corazón...
Viviendo sueños plenos de esperanzas
enfrentamos la lucha sin desmayos...
Si cerramos los ojos al fracaso
ya veremos colmada la ambición.

II

Impulso hemos de ser, nunca instrumento.
Que es muy triste ser cola de león.
Ser cerebro pensante, aun encerrado,
en la humilde cabeza de un ratón.
Llamarada de luz, antorcha, guía,
donde triunfe la ley de la razón.
Firmes en el timón, siempre en la ruta
venciendo las tormentas y temor.

III

Ser brújula, ser norte, ser bandera...
No importarnos las piedras del camino...
Arriba la cabeza, firme el paso,
alta la frente y mirando el Sol.
Sentirnos eje de ese mecanismo
que mueve el mundo en su girar constante.
Reírnos de las burlas de los necios
y en la lucha triunfar sobre el dolor.

Música de: F. Scolati ALMEYDA
Letra de: Pelayo PATTERSON


En tu Homenaje AGUSTIN MAGALDI!

Cuando al arado me inclino,
mi fe de criollo se aferra.
Clavo la reja en la tierra
puntiando un aire argentino;
mientras cesa el ave su trino
baja desde el infinito,
a elegir con su piquito
los bichos que van surgiendo.
Los admiro y comprendo
que matarlos es un delito.

Aferrado a mi dolor
consulto a mí sentimiento,
para olvidar un momento
a lo que llaman rencor.
Y como criollo de mi flor
de estampa noble y bizarra.
Voy a pulsar la guitarra
para mi canto elevar,
y en vez de cantar, llorar
por el mal que la desgarra.

Magaldi, como argentino
y amante de la tradición,
yo te elvo esta canción
que sembrará en mi camino.
Como cantor fuiste tan digno
que se te puede admirar.
Te supiste conquistar
los aplausos del amigo,
que yo los llevo consigo
y jamás te he de olvidar.

Rafael D'AMATO


NIEVE

I
No cantes, hermano, no cantes,
que Moscú está cubierto de nieve
y los lobos aúllan dee hambre...
No cantes, que Olga no vuelve
aunque el sol nuevamente ilumine,
aunque siga cayendo la nieve...

II

Rumbo a Siberia mañana
saldrá la caravana...
Quien sabe si el sol
querrá iluminar nuestra marcha de horror
Mientras en Moscú
Mi Olga talvez a otro amor se entregó
No cantes, hermano,
No cantes, por Dios...

III

Unidos por crueles cadenas
por la estepa mil leguas haremos
caminando con rubo a Siberia...
No cantes, que es ruda la helada.
Ya Moscú está cubierto de nieve
ya la nieve ha llegado a mi alma.

-----------------------

Letra de: M. Ferradas CAMPOS
Múscia de: Agustin MAGALDI

VIRGEN DE ITATI, Cancion

Mi cabellera vengo a ofrendarte mi virgencita
haz que la guerra termine pronto y me devuelva
al ser amado que por la patria y su bandera
marchóse un día como un valiente a defederla.
Por él te pido, por él te ofrendo mi sacrificio
porque es mi vida, sin él me muero, ten compasión,
haz que la guerra termine pronto y me devuelva
al ser que adoro con toda el alma
y un dia el odio me lo llevó.

Al valle me voy, Virgen de Itatí
mi ofrenda dejé al pié de tu altar.
Mi cabellera, tesoro mío, sacrifiqué
para que pronto de nuevo al valle
lo vuelva a ver.
Al valle me voy, Virgen de Itatí,
por él rogaré con hondo fervor
y si no vuelve, mi virgencita, he de morirme
y allá en el valle han de encontrarme
entre las sombras de mi dolor.

Cesó la guerra y el ser amado no retornaba
sombras de gloria cubrió su cuerpo en las trincheras
y allá en el valle tendió su manto la negra noche
como un respeto al que muriera por su bandera.
Mi virgencita, para qué quiro seguir viviendo
me falta el aire, me duele el alma y el corazón
sola he quedado en este valle de sombras negras
que un día el odio me lo mató.

Letra de Nolo Lopez
Música de Perez Cardoso

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Guacho!

O poeta argentino Artemio Aran dedicou ao amigo Nolo López, agradecendo seus versos "Carrera de Sortijas".

!Guacho...! hijo'e perra
ya te voy a dar...
- Y el rebenque me abanica el aire,
zamarreo, precursores de guascazos,
es el rigalo de tuito el paisanaje.-

Como trapo'e cocina
se limpian las manos en mi cara
y me azotan la palabra !Guacho!
en presencia de mi propia mama.
Enrolla la pobre
el delantal hasta los ojos,
guarda silencio
y se limpia una lágrima.
Pero algún día alcanzaré
de pronto
por qué me llaman guacho.


Peor algún día alcanzaré
a ser hombre
pa gritarles a tuitos
que la culpa de no tener
legalizao, en un registro
no da razón pa que baléen
siempre, la palabra Guacho.
!Porque yo tengo una mama como naide!
que cura mis heridas con su llanto
y suaviza con sus besos guenos
mi tragedia'e muchacho.


segunda-feira, 12 de abril de 2010

Una Milonga Muchachos


I

En las veces de mi bandoneón
les brindaré en este día
con el alma y con el corazón,
un ramo de melodías...
Oirán el ritmo sentido
de una milonga porteña
que será pronto la dueña
del afecto popular...

II

Milonga, milonga mía,
cantar del pueblo, que con su acento,
nos dice del sentimiento
de su pena o de su alegría.
Milonga, milonga mía,
florcita humilde que en el suburbio
tuviste un pasado turbio,
pero has ganado tu redención...

I (bis)

La sentí crecer en mi ilusión,
con entusiasmo que inflama.
La divida, y con mi bendición,
hoy la llevé al pentagrama...
Una milonga muchachos,
tal vez, sencilla y modesta,
pero al compás de esta orquestra,
hoy de gala se vistió...

De: Acquarone y Crudi.
Coletanea de Tangos e Milongas, sem datas...

quarta-feira, 7 de abril de 2010

AZUL

te adoré sincero y me han echo esclavo
al poner en mi alma la azul ilusión.
Pero tu alma, desdeñosa y fria,
no sabía de amores para mi dolor.
Fueron tus ojos los que me mintieron,
tan engañadores, con su fulgor;
y ahora arrastro la cadena
del recuerdo triste
del pasado hermoso,
al vivir dichoso
en los dorados brazos
de aquella ilusión.

Amores fingidos son cual mariposa.
Como ella engañosa, que igual que a una flor
nos mienten cariño, nos hieren el alma,
se llevan la esencia y nos dejan dolor.
Pero yo no siento el dolor de la herida
que abrió dentro de mi alma tu negra traición;
tan sólo me duele el fulgor de tus ojos,
que ayer me miraron con terna pasión.

Letra y música de: Arquimedes Arci

Preguntita sobre Dios

Un dia yo pregunté
?Abuelo dónde está Dios?
Mi abuelo se puso triste
Y nada me respondio
Mi abuelo murió en los campos
Sin rezos ni confésion
Y lo enterraram los indios
Flauta de canã y tambor,
Y lo enterraran los indios
Flauta de caña y tambor
Al tiempo yo pregunté:

? Padre que sabes de Dios?
Al tiempo yo pregunté:
Mi padre se puso sério,
Y nada me respondió

Mi padre murió en la mina
Sin doctor ni protección
Color de sangre minera
Tiene el oro del patrón
Color de sangre minera

Mi hermano vive en los montes
Y no conoce una flor
Sudor, malária y serpientes
La vida del leñador
Y que naides le pregunte
Si sabe dónde está Dios
Por su casa no ha pasá-o
Tan importante Senõr,
Por su casa no ha pasá-o

Yo canto por los caminos
Y cuando estoy en prisión
Oigo las voces del pueblo
Que canta mejor que yo
Hay un asunto en la tierra
Más importaante que Dios
Y es que naide escupa sangre
Pá que otro viva mejor,
Que Dios vela con los pobres
Tal vez sí o tal vez no,
Pero es seguro que almuerza
En la mesa del patrón.
-----------------------------

Esta peça de arquitetura latinoamericana é de
Héctor Roberto Chavero, mundialmente conhecido
como ATHAUALPA YUPANQUI.
Há pasao al oriente eterno em Paris. 1992.








quinta-feira, 18 de março de 2010

ESTUDOS JURÍDICOS E FILOSÓFICOS - PLATÃO


A REPÚBLICA
PLATÃO
Anatolio Pereverzieff,
Apontamentos
A República, obra do filósofo Platão (427-347 a.C. a mais importante, sendo de grande atualidade.) Parece que Platão ainda vive no meio de nós, analisando os sistemas de governo, seus instrumentos e mecanismos de poder, além de abordar temas antigos e ao mesmo tempo novos, tais como o sistema de vida do povo, com suas mazelas, ricos e pobres, descaso pela cultura e educação, verdade e mentiras, justiça e injustiça, abandono das classes menos favorecidas. A obra se apresenta com forma de diálogos, onde Platão faz críticas contundentes aos governos, mas sempre apresenta soluções para uma estratégia política perfeita. Muitas teses defendidas soam como utópicas, como por exemplo, a de que um Estado ideal que deveria ser governado por homens justos, sábios e instruídos. Pregava que o homem ideal para colocar em prática este tipo de governo era o filósofo. Ele mesmo fez estas experiências e fracassou no intento. Foi conselheiro do tirano Dionísio, em Sir acusa, na Itália, que fazia parte da Grécia. Platão passa analisar todos os tipos de governos existentes na época e analisa a aristocracia, a oligarquia, a democracia e a ditadura que ele chama de tirania. Seu pensamento do ideal de Estado perfeito seguia um caminho: a produção, a defesa, a administração da coisa pública. O sistema produtivo abrange a agricultura, indústria e comércio. Por fim o governo que administra os bens do Estado e viabiliza a comercialização mediante leis justas. Para que a sociedade produza e cresça em harmonia e paz, é necessário constituir e manter um grupo de defensores do Estado e do povo, o exército, que deverá manter a paz contra as ameaças dos inimigos internos e externos. Para estabelecer esse Estado ideal, virtudes do povo e qualidades morais é preciso o esclarecimento, a organização, consolidar toda essa fundamentação. Platão não se cansa de analisar e pregar essas qualidades, físicas, morais e intelectuais do cidadão, do guerreiro e do chefe de Estado. Condenava abertamente todo tipo de degradação do povo. Nascido na Grécia, em Atenas, nobre e de família rica, aos vinte anos de idade passa a freqüentar o círculo de discípulos de Sócrates, com o qual conviveu até sua morte, no ano 399. Viajou muito, vai ao Egito, a Itália, onde morou e foi nomeado conselheiro do tirano de Siracusa. Depois de muitas mazelas volta para sua terra e funda uma Academia, a qual se dedica até sua morte. A obra merece ser lida por todos, pois também, em seu conteúdo analisa o mito das cavernas. Certamente veremos depois de sua leitura que nosso mundo não mudou muito. No entanto, a empreitada será de extraordinário valor moral e intelectual a quem dela usufruir, principalmente estudantes do direito, pesquisadores, intelectuais, pensadores, filósofos!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Yucumã, "un-paved"


Trata-se de um maravilhoso ponto de turismo para o futuro. Esse futuro não sei aprazar! Vimos aí que perdemos precioso tempo com a falta de infra-estrutura em nome da preservação ambiental.
O Parque tem cerca de 17.000 (dezessete mil) hectares de área de florestas. E estas não são densas porque as madeiras seculares não as vimos. Vê-se clareiras e muito sol entre as árvores!
Injustifica-se por qualquer meio e modo a falta de boas estradas. São terríveis 17 km. de pura estrada ruim. Dentro do parque são 16 km. da entrada até o ponto de chegada; mais 400 metros e estamos lá. Sem sorte, porque abriram as comportas de Itá e tudo ficou abaixo d água.
Voltamos com a expectativa em parte suprida. Um dia voltaremos!
Como podemos ver maravilhosas fotos no Google Earth já nos bastamos.
O guarda do Parque, onde se recolhe uma taxa, com nota fiscal, foi muito solícito, nos dizendo que nada íamos ver. A não a estrada e assim aconteceu.

Yucumã

Yucumã, estrada de acesso;

Salto Yucumã, Derrubadas-RS.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Excesso de Chuvas em Itaroquém

Choveu tanto que ficou impossível de se usar a estrada para qualquer situação. A água da chuva cobriu a estrada até por cima das árvores. Em quarenta anos não tínhamos visto semelhante
evento!
Formou-se uma fila de carros por cerca de dois quilômetros, até baixar a água, que quase destruiu a estrada BR 285. Janeiro de 2010.

Por-do-Sol no Itaroqúem, Sto.Antonio das Missões-RS

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Terra em Transição

Inesperadamente uma tempestade, um furação, uma avalanche de terra, casas ruindo, estradas em péssimas condições.
Isto está acontecendo em todo o mundo! Atribui-se a culpa ao aquecimento global. Que ironia!
Sempre os passeadores estão viajando para salvar o planeta. Salvar do que?
A imprensa semeia o pânico e o povo mal informado se assusta. Agora 0 2012 será o fim do mundo.
Novamente o pânico. Além das situações puramente verdadeiras, hoje o caos no Haiti, com milhares de mortos, infelizmente, muitos brasileiros entre eles.
A classe política que nos dirige muito mal por sinal sempre corre na frente para dar sua versão e capturar alguns futuros eleitores. Cada absurdo proferidos que ficamos pasmados de tanta asneira.
Primeiro não há fiscalização em lugar nenhum, constrói-se em nome do progresso e da erradicação da sub-moradia, em lugares impróprios como na encosta dos morros, retira-se a mata ciliar nativa e a areia torna tudo vulnerável.
Embalagens de plástico jogadas nas fossas, nos rios, nas bocas de lobo das ruas na maioria das cidades,de forma escandalosa e salientemente negligenciada.
E nós? Ah nós? Quem? Para que se envolver se o problema não é nosso! Essa é a desculpa esfarrapada para a omissão.
Nós temos de ser fiscalizados, infelizmente pelo poder público, que é detentor do poder de polícia!
Temos de ser orientados sempre, porque os adultos com seus vícios impertinentes não querem saber de separar o lixinho porque pagam seus impostos "em dia". Não se recolhem mais embalagens de vidros pelos sucateiros porque a maioria usa embalagens pet (plástico) que não precisam de cuidados, de armazenamento e menos pessoas para a manipulação.
Primeiro vamos fazer uma campanha, mesmo vagarosa, evitando a compra de conservas, refrigerantes, bebidas, diversos produtos em plástico. Vamos pedir ao nosso fornecedor que adquira produtos recicláveis. Uma das maiores companhias mundiais de bebidas sentiu isso e já colocou nas gôndolas dos mercados seus produtos "inovados" com vidro, que é 100% reciclável e não mexe mais com a sofrida natureza, pois é feito de areia.
A terra não está aquecendo, isso é conversa fiada dos pseudo-cientistas que estão a desviar a atenção para os assuntos principais, e além disso querem vender seus salvadores produtos e suas ideias mirabolantes, como estancar a ação dos grandes produtores de cereais, tornando suas propriedades indisponíveis. Essa moda não é só nossa não. Na Austrália esta moda está pegando.
A riqueza do nosso País é de uma grandiosidade tamanha que nós pobres mortais não a veremos se extinguir! Nem os bisnetos.
Vejam o caos das águas poluídas, o povo adoece aos milhares, diariamente pelas condições de miserabilidade em que vivem. Outros mais abastados locupletam-se à vontade, num verdadeiro "é a nossa vez".
Reflitamos sobre o assunto.
Continuo sendo contrário a utilização de crianças e jovens na imunda limpeza de rios, de beira de estradas, coisa de adultos irresponsáveis...

Fotos sobre Cuba

Tivemos, eu e minha esposa, o grato prazer de ver no Sesc a exposição de fotos lá exposta, sobre aspectos humanísticos na Ilha de Cuba. Surpreende o que se vê!
Não se vislumbram sinais de alegria no rosto da pessoas. O costume social deles certamente é diferente do nosso.
Carros antigos, prédios deteriorados, tudo é esburacado, ou quase tudo!
A missão do fotógrafo certamente não é a de julgador. Sua missão é a de mostrar o que é a Ilha hoje. Fez isso muito bem feito, o fez com exemplar maestria, atributo do bom profissional.
Tadeu Vilani merece todo nosso respeito pelo profissionalismo.
Todos os admiradores do comunismo cubano devem ir ao Salão de Exposições do Sesc em Santa Rosa para constatarem o que foi feito em cinquenta anos!
Tenham todos o máximo de aproveitamento e muita reflexão.
Não tenho a pretensão de servir de algoz ao regime de lá, demodé, por sinal.
Ainda pretendo ir lá!



sábado, 16 de janeiro de 2010

Em frente ao ônibus da troupe de Joselo

VI Encontro Internacional de Chamameceros

Dante Ramón Ledesma

Juliano Javoski no VI Chamamecero!

Lúcio Yanel, no VI Encontro Chamamecero!

Vista lateral da Mesa.

Mostra do Trabalho Artesanal da Solange!

Artesanato da Solange

Mandala, mosaico e ágata.