sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Terra em Transição

Inesperadamente uma tempestade, um furação, uma avalanche de terra, casas ruindo, estradas em péssimas condições.
Isto está acontecendo em todo o mundo! Atribui-se a culpa ao aquecimento global. Que ironia!
Sempre os passeadores estão viajando para salvar o planeta. Salvar do que?
A imprensa semeia o pânico e o povo mal informado se assusta. Agora 0 2012 será o fim do mundo.
Novamente o pânico. Além das situações puramente verdadeiras, hoje o caos no Haiti, com milhares de mortos, infelizmente, muitos brasileiros entre eles.
A classe política que nos dirige muito mal por sinal sempre corre na frente para dar sua versão e capturar alguns futuros eleitores. Cada absurdo proferidos que ficamos pasmados de tanta asneira.
Primeiro não há fiscalização em lugar nenhum, constrói-se em nome do progresso e da erradicação da sub-moradia, em lugares impróprios como na encosta dos morros, retira-se a mata ciliar nativa e a areia torna tudo vulnerável.
Embalagens de plástico jogadas nas fossas, nos rios, nas bocas de lobo das ruas na maioria das cidades,de forma escandalosa e salientemente negligenciada.
E nós? Ah nós? Quem? Para que se envolver se o problema não é nosso! Essa é a desculpa esfarrapada para a omissão.
Nós temos de ser fiscalizados, infelizmente pelo poder público, que é detentor do poder de polícia!
Temos de ser orientados sempre, porque os adultos com seus vícios impertinentes não querem saber de separar o lixinho porque pagam seus impostos "em dia". Não se recolhem mais embalagens de vidros pelos sucateiros porque a maioria usa embalagens pet (plástico) que não precisam de cuidados, de armazenamento e menos pessoas para a manipulação.
Primeiro vamos fazer uma campanha, mesmo vagarosa, evitando a compra de conservas, refrigerantes, bebidas, diversos produtos em plástico. Vamos pedir ao nosso fornecedor que adquira produtos recicláveis. Uma das maiores companhias mundiais de bebidas sentiu isso e já colocou nas gôndolas dos mercados seus produtos "inovados" com vidro, que é 100% reciclável e não mexe mais com a sofrida natureza, pois é feito de areia.
A terra não está aquecendo, isso é conversa fiada dos pseudo-cientistas que estão a desviar a atenção para os assuntos principais, e além disso querem vender seus salvadores produtos e suas ideias mirabolantes, como estancar a ação dos grandes produtores de cereais, tornando suas propriedades indisponíveis. Essa moda não é só nossa não. Na Austrália esta moda está pegando.
A riqueza do nosso País é de uma grandiosidade tamanha que nós pobres mortais não a veremos se extinguir! Nem os bisnetos.
Vejam o caos das águas poluídas, o povo adoece aos milhares, diariamente pelas condições de miserabilidade em que vivem. Outros mais abastados locupletam-se à vontade, num verdadeiro "é a nossa vez".
Reflitamos sobre o assunto.
Continuo sendo contrário a utilização de crianças e jovens na imunda limpeza de rios, de beira de estradas, coisa de adultos irresponsáveis...

Fotos sobre Cuba

Tivemos, eu e minha esposa, o grato prazer de ver no Sesc a exposição de fotos lá exposta, sobre aspectos humanísticos na Ilha de Cuba. Surpreende o que se vê!
Não se vislumbram sinais de alegria no rosto da pessoas. O costume social deles certamente é diferente do nosso.
Carros antigos, prédios deteriorados, tudo é esburacado, ou quase tudo!
A missão do fotógrafo certamente não é a de julgador. Sua missão é a de mostrar o que é a Ilha hoje. Fez isso muito bem feito, o fez com exemplar maestria, atributo do bom profissional.
Tadeu Vilani merece todo nosso respeito pelo profissionalismo.
Todos os admiradores do comunismo cubano devem ir ao Salão de Exposições do Sesc em Santa Rosa para constatarem o que foi feito em cinquenta anos!
Tenham todos o máximo de aproveitamento e muita reflexão.
Não tenho a pretensão de servir de algoz ao regime de lá, demodé, por sinal.
Ainda pretendo ir lá!



sábado, 16 de janeiro de 2010

Em frente ao ônibus da troupe de Joselo

VI Encontro Internacional de Chamameceros

Dante Ramón Ledesma

Juliano Javoski no VI Chamamecero!

Lúcio Yanel, no VI Encontro Chamamecero!

Vista lateral da Mesa.

Mostra do Trabalho Artesanal da Solange!

Artesanato da Solange

Mandala, mosaico e ágata.

Símbolo Maçônico, mesa em mosaico e aço

Amizade entre Mãe e Filha

Vovó entre dois netos

Égua Apaloosa, Arthur, Jandira e Márcio


Arthur Maragatinho

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

VI Encontro Internacional de Chamameceros

Realizado em São Luiz Gonzaga-Rio Grande do Sul, de 7 a 10 de janeiro de 2010.
Este festival de artistas chamameceros foi um sucesso total, com a apresentação excelente dos artistas, organização que não deixou nenhuma margem para eventuais descontentamentos ou críticas.
Ajustados os momentos da transição entre os artistas e o som, apresentou-se o excelente grupo de danças folclóricas de São Luiz Gonzaga, demonstrando perfeito conhecimento da arte sulamericana folclórica. As apresentações certamente deixaram todos maravilhados
pela qualidade e beleza das apresentações.

Chamamé é o símbolo da união dos povos sulamericanos, notadamente Argentina, Brasil, Uruguay e Paraguay. Começam a florescer aqui no Sul, na fronteira do Rio Grande com a Argentina, numa proporção muito boa e no Mato Grosso com a proximidade do Paraguay.

Entendo que a cada ano que passa este Festival tem se tornado um dos melhores e maiores elos de ligação emocional, social, política e principalmente a comunhão fraterna entre os povos. Tem sido este evento o marco principal de tudo isto.

A cada ano nota-se a melhoria em todos os aspectos, desde a apresentação dos artistas e sua cultura musical como a organização puramente material, o que tem se tornado referência para similares apresentações.

Outro item que nos chama a atenção é a simplicidade, assim como nos pequenos frascos
é que estão os melhores perfumes, o Chamamecero tem em si provado isto, para quem vive e convive aqueles quatro dias maravilhosos, fica a marca indelével do: "ano que vem estou de volta".

E estarei se assim me permitir o Grande Arquitecto do Universo.

Nominar os organizadores e esquecer de algum seria um feito desastroso de minha parte,
mas em nome do todos cito o crioulo Jorge Guedes, secundado por sua querida família, que deu demonstrações de um desmedido amor a tudo isto. Claro que uma grande equipe faz parte da organização geral. Muitos artistas também: Luís Carlos Borges,
Lúcio Yanel, Dante Ramón Ledesma, Joselo Schuape - o Joselo de Misiones, este com uma apreentação maravilhosa, de conteúdo de mexer com as nossas emoções. Devemos trazê-lo ao Brasil para apresentar-se e garantir casa cheia, pois tem todos os predicados para conseguir este objetivo e deixar todos satisfeitos.
Shana Muller apresentou mais de uma vez e foi mestre de cerimonias também, excelente.
Antonio Gringo, Xiruzinho, não desejo cometer o desatino de esquecer alguns. Foram tantos que encheria páginas citando nomes.
De repente numa outra ocasião posso fazer isto.
Mas, para não deslustrar ninguém e nem o evento, os que desejam saber mais podem abrir o blog do chamamecero e ver aí o rol dos músicos e as apresentações.
Até o VII Chamamecero em São Luiz Gonzaga, no ano que vem.

Ariano Suassuna no Jô Soares