Os Direitos dos Cidadãos

Fiquei contristado há poucos dias porque perdi um amigo em acidente de trânsito, na rotatória de Santo Antonio das Missões-RS.
Antonio Garcia voltava de um trabalho comunitário e ao parar no trevo, aí que acontecem as fatalidades sem explicação, foi colhido fatalmente por uma carreta! Tragédia na família.  Garcia ainda se encontrava na plenitude da produção intelectual e física. Advogava pequenas causas...

Há muitos anos a estrada foi construída, cerca de quarenta anos. Desde lá muitos morreram ou ficaram mutilados. Não foi fechado trevo para fazer-se uma rotatória com a consequente diminuição da velocidade. Certamente acabariam de vez as tragédias. Nada foi feito feito. A comunidade timidamente foi olhar o fatal acidente e pediu providências. A quem? Ninguém sabe dizer a quem. O DENIT que é o responsável pela conservação da rodovia, da vida segura nas estradas, ainda não se manifestou. Uma pena. Vidas continuarão sendo ceifadas por interesses mesquinhos em nada fazer, nada mudar.

Enquanto os usuários não entraram em massa no judiciário para exercer seus direitos, ou seja a busca de indenização por danos morais e materiais nada será feito. Para isso, devemos ter em mãos os registros policiais, muitas fotos, necropsia e eventos pertinentes. Junte-se tudo isto e faça-se o processo com o concurso de um bom advogado. Um dia virá a solução, pois o último reduto dos desprovidos da sorte é o Poder Judiciário. Este pode  demorar mas dará solução!

O mesmo acontece  nas cidades, onde o descaso pelos transeuntes é simplesmente fantástico. Hoje mesmo presenciei um adolescente sendo socorrido pelos Bombeiros, pois havia caído em um buraco numa das principais ruas da minha cidade, quando circulava de bicicleta. Parei para vislumbrar aquele triste acontecimento.

Cabe também a todos os usuários o mesmo procedimento. Registro Policial, fotos do evento, notas fiscais de despesas médicas e outras, como de oficinas, no caso de veículos. Laudos técnicos são úteis também.

São os novos direitos do cidadão que deverão ser exercidos. Cada cidadão possuidor de documentos está apto a buscar seus direitos. E ninguém sobretudo os prestadores de serviços: município, estado e união não poderão ou não terão argumentos para negar a evidência dos fatos.

Cidadãos, homens e mulheres devem ser orientados para a busca plena dos seus direitos. Quando
um grande parcela conhecer o que o pode e o que não pode, as coisas poderão tomar novos rumos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MANIFESTO PELA PAZ MUNDIAL - UNESCO

A MAÇONARIA E O PATRONO SÃO JOÃO DA ESCÓCIA

Coronilha