Momento Político - Reflexão

Começaram a nos tirar os bons momentos de lazer. Temos de olhar para caras-de-pau fazendo miraculosas promessas e cheios de ideias!
Pasmem: recentemente ligaram para minha casa, identificando-se como se fosse de importante órgão  de pesquisa; tratava-se de uma enquete sobre as próximas eleições. Logo a "moça" perguntou, depois de ter dado os necessários esclarecimentos, nível de escolaridade? Superior Completo e mais algumas graduações. Ah, não pode não! Tem outra pessoa na residência que não tenha curso superior?
Não, não tem. Deixarei os nossos números para que o senhor  possa checar as solicitações. Não carece não.
Desligou....

Tenho ojeriza a promessas, a ilusões disponibilizadas a uma maioria ignara, sem as mínimas condições de apertar teclas da urna eletrônica quanto muito a compreender nosso momento.

Meu avô paterno foi "exilado" por dois anos na Sibéria porque não era comunista! Gostava do livre-arbítrio, do ir e vir,  sem policia e dedos-duro ao lado, na vizinhança. Em todos os lugares os comissários deduravam. Isto que fora marinheiro da gloriosa frota russa, por cerca de dez anos.
Meu pai foi preso aqui por vinte e um dias por não era comunista! Era um intelectual que buscou formação na capital do Estado, saindo das agruras e das dificuldades da vida selvagem em que viviam, pois tudo tinha de ser feito por aqui. Tudo era mato, inóspito. A maior companhia eram as feras, e as dificuldades de locomoção.  Foi dedurado por um amigo. Chamado a depor durante a prisão, lhe foi perguntado porque fazia apologia ao comunismo quando o Governo não queria isto? Nada disso!
Havia um medo terrível de qualquer tipo de manifestação sobre política. Tudo o que havia era às escuras. Foi-lhe perguntado sobre um livro, ora bolas, tratava-se de um diário que contava a realidade em que vivia a Rússia na época da IIª Grande Guerra e em meio ao regime comunista, assaz violento.
Este livro fora escrito por um médico Argentino, adido da Embaixada.
São coisas da vida e coisas do tempo. Tudo é propaganda. A Elite diretiva tinha os maiores e os melhores privilégios, os demais a burocracia emperrada e o poder medíocre dos comissários do povo.

Vamos observar, vamos ser criteriosos nas nossas escolhas. Quero, ainda, gozar dos melhores e dos maiores privilégios que, constitucionalmente são dados ao povo, a totalidade, a maioria do povo brasileiro.

Nosso melhor, mais querido, mais amado bem é a LIBERDADE!

A França, ou melhor o povo francês fez uma revolução em 1789 para derrubar a oligarquia, cento e cinquenta anos depois, ainda não tinha conseguido os mais elementares objetivos propostos por aquela sublevação.

Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Liberdade sem ferir ou humilhar qualquer ser humano nossos patrícios e quem mais quer que sejam eles; Igualdade de direitos e de obrigações, sem aquela demagogia de dizer que o comunismo vai igualar a todos. Pode igualar a miséria de todos, a pobreza mas não reparte a riqueza e eis aí o seu gargalo. Cuidemo-nos dos "ismos".
Fraternidade, ainda deve ser o elo de ligação das pessoas na pátria, nos países vizinhos, no esporte, na faculdade ou nos primeiros livros escolares, e em todos os lugares. O exercício da fraternidade começa dentro de casa e não na rua.

E por fim, que tipo de fraternidade ouvimos falar em Cuba, Afeganistão, Venezuela entre outros?

Observemos...

Comentários

Postagens mais visitadas