Esperança de Mãe

Cadê teu gesto meigo e sincero?
Aos pouquinhos foi sumindo
Acho que foi o vento mau que
Levou embora.
Cada dia olhas pela janela de tinta
descascada, de cor apagada.
Será que vens hoje?
O barulho do sapato na calçada
Anuncia sua chegada.
Abriu bem  seus olhos e esperou
Que fosse verdade. Pálida não
Ouviu nenhuma voz amada.
Foi  o pássaro que pousou na
Janela.
O brilho da personalidade não
Esmaeceu;
Não perdeu o vigor!


Obs: Estas belas letras e de saudosa memória
foram escritas em 25 de Fevereiro de 2010,
por Rozana Marin.

Comentários

Postagens mais visitadas