Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Conciencia

La conciencia es ubicua
la siente a veces en el pecho
pero también está en las manos
en la garganta en las pupilas
en las rodillas en los pulmones
pero la conciencia más conciencia
es la que se instala en el cerebro
y allí ordena prohíbe festeja
y hasta recorre interminablemente
los archipiélagos del alma

la conciencia es incómoda
impalpable invisible pero incómoda
usa el reproche y las bofetadas
las penitencias y el sosiego
las recompensas y las paradojas
los gestos luminosos y libertarios
pero la conciencia más conciencia
es la que nos aprieta el corazón
y vaga por los canales de la sangre

BENEDETTI, Mario
El mundo que respiro.

Precauções

Incautos, ambiciosos,
Desmesuradas vontades de rápida
Riqueza,
Buscam em recônditos facilidades
Logo são surpreendidos por
Aqueles que subjugam!
Utópico dizer que não existem
rapaces da consciência.
Faça-se ao largo como fazem os
bons timoneiros que evitam  as
Águas enlouquecidas pelos
Ventos.
Gestos elegantes de agradecimentos
tornam as pessoas livres e de bons
costumes!
É chulo ser quixotesco.
E da mesma forma ser caudatário.
E o mundo gira, gira...
____   ____   ____

"Badalava! Badalava! O grito dos sinos
entrava no ouvido dos viventes...
Como se uma tropilha pisoteasse o
Pensamento, machucando o coração".
LESSA, Barbosa. Rodeio dos Ventos

O Rádio

O Severo comprou um aparelho de rádio,
O que era privilégio de poucos, cerca de sessenta anos.
Instalado o aparelho com todos os requisitos da boa
técnica, ouviram toda sorte de notícias, músicas do Brasil
e do mundo!
Quando o vendedor-instalador, após dar todas as
orientações e instruções ao Severo, foi-se.
O rádio parou de funcionar.
"Laninho vá buscar o Clemente agora! O rádio só funciona
quando ele está perto. Acho que passou a rasteira em nós."
O Severo esqueceu que girando o botão à direita liga e a
esquerda desliga;
Esqueceu também que as válvulas demoravam para
esquentar...
E o capelinha está perfeito até hoje.




Sedução

Alguns se deixam seduzir
Pela insignificância de poder,
Medíocre na maioria das vezes,
E não mais arranjam disponibilidades
E sempre estão disponíveis...
Em infecundas ações.
Graça!
Ingentes amizades se fazem próximas
E olham tão somente, cândidos
e complacentes, frutificar o gotejamento
da nobre garoa,
De mais valia, que ajudará na formação
de caudalosos mananciais, e se
aproveitados
Racionalmente
Produzirão energia de qualidade.
Que os amplexos de derrotas e de
vitórias tenham o mesmo vigor!

Pontas de Lanças

A quem molestaram? Na defesa ou no ataque?
Carcomidas pelo sal da terra e pelos milhares de decêndios.
Defenderam legitimidades, direitos à vida, à propriedade, do
ir e vir, de quem?
Simbolizam poder!
Dos que tinham a primeira fundição em São João Batista.
Eram eles!
Eram donos da cultura de todas artes;
Ensinaram esculpir no pau-ferro santos
Cujos formões lhes deixaram sem alma,
Esvaziaram-nos e depois a devolveram  em forma de
Ouro, prata, diamantes e ametistas.
Certamente estão entesouradas na casa do Pai Maior,
Representante onipresente das falas daquele que dita
Regras para a natureza se completar.
Os herdeiros naturais esmolam-se, envergonhados
Da mísera condição  humana de vendedores de
Cestos e de balaios.
Onde são guardadas as lembranças tímidas do
"Esta terra tem dono."
Querem beatificar o índio e depois vender
Medalhas santificadas.
Guardam-se sós as pontas de lanças,
Guardiãs de sua própria história e eventualmente
Nos levam ao passado numa carruagem de
Indagaçõe…

Carta

Saudações:

... as ideias são o único terreno de apoio a uma obra literária. E você não tem tempo para elas. Nem para ler nada afora o que esteja em moda.
Para conselhos veja Zenão, Cleanto, Epicuro. Este diz uma coisa que você deveria assimilar, caríssimo sobrinho: "A ira desgovernada gera loucura".
Corra até aquecer-se, tome banhos frios, coma pão, coma figos secos, beba água da fonte.
Lembre-se que a embriaguez não passa de uma forma de loucura propositadamente assumida.
Não curta a crueldade dos poderosos. Não provoque a fúria dos mais poderoso de todos. Nada disso. Faça-se ao largo, desviando-se como o timoneiro hábil evita o mar picado e rodeia as borrascas.
A verdade é que os escritores nunca devem chegar perto demais do poder. Anseiam para que a realidade atinja o nível da arte, por isso dão absurdos conselhos.
É melhor sonhar e escrever sobre o passado, como está fazendo na "Farsália".
Epicuro nos aconselhava meditar sobre a morte, com isto convidava-nos a …

Aleijadinho

Fato verídico acontecido na Vila Nhu-Porã, passagem de trens, em São Borja, há cerca de trinta e três anos, mais ou menos, no Café do Osso.
De retorno de São Borja, o Seu Marcos Ramborger deu uma paradinha com seus filhos - eles plantavam suas lavouras nas cercanias, próximo à Coudelaria do Rincão - naquele Bar, pois era um lugar da melhor qualidade para saberem das novidades e saborearem alguns quitutes e obviamente acompanhamentos.
Quando estacionavam o veículo em frente ao Bar, havia no parador para amarrar cavalos um cidadão encostado, que andava de muletas, pois havia perdido uma perna, por excesso de bebedeira, nos trilhos de trem e para que não perdesse a estética costurou uma bota de militar por cima da bombacha fazendo-se fisicamente perfeito.
Esqueceu-se disso talvez, e levou a mão para cumprimentar o seu Marcos e nesse ínterim desequilibrou-se, caindo de forma surpreendente. Torceu justamente a perna que portava a bota, que indicava perfeição física e o amigo que receberia …

Aspectos de Luziânia

Imagem
Modernos e lindos pontos de espera de ônibus que fazem as linhas citadinas! Espaçosas, feitas para abrigarem os usuários confortavelmente.

Cidade de Luziânia, Goiás

Imagem
Centro Cultural de Luziânia, Goiás. Obra planejada pelo eminente Oscar Niemayer. Teatro, cinema, biblioteca e espaço aberto para manifestações culturais e para brincadeiras de crianças e adultos. Situado num local privilegiado da cidade. Um quarteirão inteiro e nenhuma folha verde! Parece-nos uma ironia, numa época em que a moda é verde, é plantar alguma coisa, nem que seja uma panela cheia de amor!

Pilão em madeira, Museu de Luziânia-GO

Imagem
Pilão manual, para socar cereais, mandioca, milho, descascar certos produtos como o arroz. Aparelho primitivo, mas utilizado até os dias atuais. Esta peça tem uma característica peculiar, pois foi feita a base de formão. Estilizado, parece ser de um indígena misto de profeta. Este museu tem muitas curiosidades. Falta um pouco mais de organização, mas de qualquer sorte, quem for até Luziânia poderá ver muitas fotos, peças antigas, aparelhos, etc.

A Guerrilha de Três Passos-RS...Impressionante Relato...

Imagem

ENTRE IDÉIAS E CIDADES | Eduardo Galeano