Pontas de Lanças

A quem molestaram? Na defesa ou no ataque?
Carcomidas pelo sal da terra e pelos milhares de decêndios.
Defenderam legitimidades, direitos à vida, à propriedade, do
ir e vir, de quem?
Simbolizam poder!
Dos que tinham a primeira fundição em São João Batista.
Eram eles!
Eram donos da cultura de todas artes;
Ensinaram esculpir no pau-ferro santos
Cujos formões lhes deixaram sem alma,
Esvaziaram-nos e depois a devolveram  em forma de
Ouro, prata, diamantes e ametistas.
Certamente estão entesouradas na casa do Pai Maior,
Representante onipresente das falas daquele que dita
Regras para a natureza se completar.
Os herdeiros naturais esmolam-se, envergonhados
Da mísera condição  humana de vendedores de
Cestos e de balaios.
Onde são guardadas as lembranças tímidas do
"Esta terra tem dono."
Querem beatificar o índio e depois vender
Medalhas santificadas.
Guardam-se sós as pontas de lanças,
Guardiãs de sua própria história e eventualmente
Nos levam ao passado numa carruagem de
Indagações e de sonhos, puxada por alazões
Alados.
Algum dia alguém nos contará mais!
Sepé Tiaraju onde estás?

"Me gustan las gentes simple... as que conmigo
Compartem los milagros."
CABRAL, Facundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MANIFESTO PELA PAZ MUNDIAL - UNESCO

A MAÇONARIA E O PATRONO SÃO JOÃO DA ESCÓCIA

SÊNECA - Sobre a Brevidade da Vida