quinta-feira, 14 de junho de 2012

MANIFESTO PELA PAZ MUNDIAL - UNESCO





"Me comprometo em minha vida cotidiana, na minha  família, no meu trabalho, na
minha comunidade, no meu país e na minha região a:

I. Respeitar a vida e a dignidade de cada pessoa, sem discriminar nem 
prejudicar o próximo.
2.  Rejeitar a violência, praticar a não violência ativa, repelindo a violência
em todas as suas formas; física, sexual, psicológica, econômica e social,
em particular ante os mais fracos e vulneráveis, como as crianças e os 
adolescentes.
3. Ser generoso. Compartilhar o meu tempo e meus recursos
materiais, cultivando a generosidade, a fim de terminar com a
exclusão, a injustiça e a apressão política e econômica.
4. Ouvir para compreender. Defender a liberdade de expressão
e a diversidade cultural, privilegiando sempre a escuta e o 
diálogo, sem ceder ao fanatismo, nem a maledicência e o 
rechaço ao próximo.
5. Preservar o planeta. Promover um consumo responsável 
e um modelo de desenvolvimento que tenha em conta a 
importância de todas as formas de vida e o equilibrio
dos recursos naturais do planeta.
6. Redescobrir a solidariedade. Contribuir para o desenvolvimento
de minha comunidade, propiciando a plena participação das 
mulheres e o respeito dos princípios democráticos, com o fim 
de criar novas formas de solidariedade".

Nos reunimos e formamos essa rede solidária para reivindicar e 
colaborar efetivamente para a construção de uma sociedade
fraterna baseada nestes princípios, nos solidarizando com todos
os que aspiram por uma sociedade com dignidade, justiça e 
segurança para todos; com os que amam as criaturas, a flora
e a fauna; com os que atuam de forma ativa e concreta na 
distribuição de riquezas; pelo respeito aos povos indígenas
e seu direito a cultura e terra próprias; com as famílias de
centenas de outras vítimas anônimas e que, como Ghandi, 
também caíram na luta por um mundo melhor;
com aqueles que promovem o reconhecimento da 
comunicação como um direito humano; com os que 
defendem a liberdade de expressão e, todos os 
que promovem a não-violência e a PAZ MUNDIAL!



DESIDERATA



Segue tranquilamente o teu caminho, em meio o ruido e a agitação e lembra-te
de que a paz se pode encontrar no silêncio. Sempre que possível, e sem humilhar-te,
se solidário com teu semelhante. Enuncia tua verdade de maneira serena e clara, e
escuta o que te falam os homens, mesmo que te fale o torpe ou o ignorante,
pois também eles tem a sua mensagem.
Evita os homens de voz ruidosa e agressiva, pois pecam contra o espírito!
Se te comparares aos outros ficarás amargurado pois sempre haverá pessoas
melhores e piores do que tu. Sinta satisfação por teus êxitos tanto quanto por teus 
planos.
Preza o teu trabalho, por humilde que seja, pois ele é o verdadeiro tesouro,
nas fortuitas mudanças dos tempos.
Sê cauteloso em teus negócios, pois o mundo está cheio de enganos, mas não deixes que isto 
 te torne cego a virtude, que existe!
Muitas pessoas se esforçam para alcançar nobres ideais, e não é raro o heroísmo. 
Se sincero contigo mesmo, e principalmente, não finjas afeto, nem sejas cínico no
amor, pois em meio a tanta aridez e desenganos o amor é tão perene como a relva 
em que pisas. Acata docilmente o conselho dos anos, abandonando com
alegria as coisas da juventude!
Cultiva a firmeza de espírito para que te proteja nas adversidades repentinas.
Muitos temores nascem da fadiga e da solidão, baseado em sã disciplina
se benigno contigo mesmo. ´És uma criatura do universo não menos
que as plantas e as estrelas tens o direito de existir, e mesmo que
isto não te pareça claro, o universo, sem dúvida caminha como deveria 
caminhar. Por isto deves ficar em paz com Deus, seja qual for a 
ideia que dele faças; e sejam quais forem tuas aspirações e tua
missão, conserva a paz em tua alma, pois a despeito das dores e sonhos
desfeitos, o mundo ainda assim tem sua própria beleza. Se cauteloso, 
esforça-te para ser feliz!


Hermann, Max, poeta e advogado. Publicado nos EUA em 1926.



sexta-feira, 8 de junho de 2012

Língua Portuguesa



Aprecio as coisas boas e certas também! Lando Oviedo, jornalista, publica 
e divulga, além de professor de língua portuguesa, que tanto
carecemos de melhor sabê-la, edita um jornal
Megalupa, que merece leitura pelos amantes do
vernáculo!
Repito acima a publicação de um poeta riograndense
que comemora o dia 10 de junho, Dia da Língua Portuguêsa.
Tenham proveito.