Eu e as Bíblias, religiosas e financeiras.


Trabalhando para uma grande empresa financeira tive a oportunidade de receber verdadeiras aulas de aplicação de dinheiro direcionado para aumentar a produtividade rural.. Desde o inicio do crédito rural, quando era exclusividade do Banco do Brasil S.A.nosso primeiro mestre  contou com detalhes a evolução creditícia rural e o apoio que os  bancos devem proporcionar aos produtores de alimentos, fui mandado a Porto Alegre para participar de um treinamento teórico e prático; um curso de investimentos nas área rural, que foi ministrado por técnicos do mais alto gabarito no Brasil, dentre esses o especial professor Dr. Victor Konder Reis um especialista contratado pelo  Banco Central  e professor de várias universidades na área econômica, ministrou em duas semanas de reclusão voluntária. O crédito rural funciona como o óleo diesel nos motores das colheitadeiras e outros equipamentos; tem de girar o ciclo preparar, plantar, colher e vender.Fiquei deveras entusiasmado, talvez pela minha jovialidade à época, em me especializar nessa área; em facilitar a liberação para os pequenos, os mais capacitados, os mais organizados, mesmo pequenos.  Logo, confesso que sem medo de errar ajudei muito nessa área mesmo sabendo que o dinheiro estava apenas sendo gerenciado e direcionado a quem produz. Depois de anos troquei de patrão e fui novamente para outro conglomerado financeiro, onde reativei - com as devidas orientações e cursos patrocinados pelo Banco as modernas técnicas de análise de projetos e celeridade na liberação!Uma coisa puxa a outra, hoje tenho dois filhos que fazem a mesma coisas...

Terminado nosso ciclo do Banco Central, fomos liberados para volta as casas, na parte da tarde de sexta-feira, depois do almoço de entrega de certificados.
Com a passagem de volta na mão, fui até o centro da cidade de Porto Alegre garimpar livros nas livrarias do centro, depois de entrar e comprar alguns livros proibidos, que estavam embaixo dos balcões, Osny Duarte Pereira, que denunciava as roubalheiras e escândalos na amazônia, biografias de Chê, As Multinacionais no Brasil de Kurt Mirow, etc. Mas vai daí que de tanto bispar pelas prateleiras apareceu o dono de uma livraria e traçou uma conversa comigo. Me disse que conhecia as pessoas que entravam e compravam só pelo jeito com que tratam dos livros..Logo me perguntou se eu tinha alguma restrição com a Bíblia, claro, que disse que não! Porque essa pergunta? Tenho centenas de Bíblias na minha livraria e não tenho vergonha de dizer que nunca vendi uma bíblia. Mas não estou entendendo onde o Senhor quer chegar; olha  quero lhe dar de graça algumas bíblias que vieram da Polônia pois além de serem difíceis  de serem lidas...
Em vista do episódio resolvi aceitar um presente para distribuir aqui. Trouxe 20 bíblias em polonês e foi difícil encontrar os receptores, mesmo sendo gracioso.

Comentários

Anônimo disse…
Gostei desse relato...é bem jornalistico o texto. Parabéns amigo Anatólio. Abraços. Enio.

Postagens mais visitadas deste blog

MANIFESTO PELA PAZ MUNDIAL - UNESCO

A MAÇONARIA E O PATRONO SÃO JOÃO DA ESCÓCIA

Coronilha