sábado, 29 de junho de 2013

Saint Clair o homem misterioso

Lá pelos idos anos de 1959/63 meus pais tinham um comércio no centro da cidade e era uma espécie de secos & molhados como diziam antigamente e vendiam somente coisas boas e artigos de primeira linha, iguarias vindas da Argentina e da Europa, conservas, peixes, frutas secas e bebidas.
Virou um ponto de encontro depois das 18h00 dos intelectuais que gostavam de trocar impressões sobre os acontecimentos culturais na cidade e da capital e com certeza no resto do mundo; fervilhavam as noticias da captura de Adolf Eichmann, procurado por crimes de guerra, cujo evento deu-se em Lanuz, província de Bonaires! E muito quietamente Mengele!
Mas o que desejo vos resenhar é que neste comércio seguidamente aparecia um cidadão impecavelmente trajado de branco, notava-se que era linho de primeira qualidade, com chapéu panamá e muito educado, discretamente participava dos embates coloquiais dos presentes; ouvia mais e falava menos. Advogados, dentistas engenheiros, contadores e outras profissões eram bem chegados nas reuniões etílicas pós-dezoito horas.
Mas de retorno ao principal, como era jovem à época a curiosidade me movia para aprender algo ou quem sabe até desaprender tudo! Mas enfim o nome do misterioso: Saint Clair! E aqui a maioria de "pelos-duro" crioulos da terra tinham a língua presa e poucas leituras como o lula, falavam 'SANCRÉ'. Sancler em francês e nos socorríamos do professor Fioravante Pedrazzani, cabedal de conhecimento, inigualável em hostoriografia e linguística, cuja escola Machado de Assis era bem em frente, doutro lado da rua, antigo hotel Joner. Que lindo isso um hotel se transformar em escola para encurtar orelha de burricos como dizem meus amigos lusitanos!
Passados muitos anos de tristezas e mais de alegrias lembrei-me do Sancré, temido por uns devido ao seu misterioso proceder; hoje chamamos isso de educação de embaixada, protocolo palaciano, aliás está faltando muito disso hodiernamente. Perguntei-me a mim mesmo que fazia o Saint Clair para ter esse estatus de gentleman?  Aqui era e é porto seguro para estrangeiros ganharem boas rendas e bons resultados em todos os empreendimentos.
E aqui vieram fugitivos de vários países, aqui vieram os espíões mossad atrás de sobras de guerra...
Observemos, é necessário!

Dilma repete façanha de Collor: a aprovação a seu governo despenca 35 pontos em três meses — 27 pontos em três semanas; hoje, só 30% o consideram bom ou ótimo; índice de ruim-péssimo chega a 25%. Então Dilma já era?

Dilma repete façanha de Collor: a aprovação a seu governo despenca 35 pontos em três meses — 27 pontos em três semanas; hoje, só 30% o consideram bom ou ótimo; índice de ruim-péssimo chega a 25%. Então Dilma já era?

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Aniversário do Guilherme Alves dos Santos da Cruz e músicos

Guilherme, homem simples do campo comemora 64 anos
e sua aposentadoria. 
Reuniu expressivo números de amigos para comemorar isto,
com toda a fidalguia inerente a simplicidade campestre.

Rincão de Santo Ignácio de Loyola, santo antonio das missões.



Esta comunidade é muito peculiar, foi fundada em 1968, conforme
gravado na cruz de lorena, em madeira, fincada à frente!
O local é utilizado (ou era) para pequenas cerimonias
religiosas naquele rincão, outrora próspera comunidade;
hoje quase deserta em vista de os aposentados irem 
para as cidades próximas e os jovens não mais desejam
permanecer longe das cidades e dos colégios!
O ícone do santo Ignácio de Loyola está lá, no maior
silêncio, sepulcral na acepção da palavra.

Como funciona o Brasil - Impostos