"Quo Vadis?"

Aonde vais? Algures!
Ninguém sabe ainda porque caminhos a humanidade percorre
A estupidez humana desmesurada
Tem provocado toda sorte de mazelas
Umas vergonhosas, outras indescritíveis...
Intelectuais com defeitos morais batem palmas
Campeiam soltos em
Busca do famigerado valor monetário, apenas!
Caviar, Romanée Conti à mesa, Grana Padano e pernil
Espanhol, tudo serve pois a mesa posta recebe
Grandes cabeças e maiores barrigas;
Ninguém consegue criar planos sem alimentar primeiro
O espírito, este precisa incondicionalmente ser alimentado
Para provocar o debate onde onde não tem perdedores e nem
Ganhadores!
Mágoa? Não! Neris de Piti biribas...Cabelos brancos sim,
Observações muitas...vetustos velhinhos.
A falta de cultura de um povo dirigido por uma massa ignara
Também de pouca valia será. Anos, decêndios perdidos
Por falta de apetite e da falta de planos para saciar a vontade
Do povo ir para os bancos universitários graciosamente
É o que falta, e dizem alguns é "tão farto que farta tudo".
A mendicância por verbas das leis de incentivo a cultura,
A compra de livros, das serestas onde se cultuam a
Ignorância coletiva, o inconsciente coletivo se propaga com
O fedor da Cannabis Sativa, do etiliquismo generalizado
Voltamos vagarosamente ao tempo das carroças, carruagens,
Burricos sendo explorados e buscadores de tesouros, os da
Sorte pois sempre os encontram e polpudas somas são entesouradas
Porque da cor verde tornam-se iguais na orbe.
Uma pena que perdemos gerações e teremos sempre novos
Embates em torno da busca dos sonhos da perfeição.

Momentos de reclusão voluntário, neste mês de agosto onde
as redes previam as maiores catástrofes climáticas no sul; comprem
abrigos quentes porque impiedosa virá a neve. Não veio, nem a chuva,
calor do verão...
Observemos, é necessário!




Comentários

Postagens mais visitadas