Amistad

É como construir hoje uma pirâmide no Egito fazer um novo amigo, cultivar uma flor é mais fácil, porque a flor apenas se exibe, exala seus feromônios que a alguns deixa cheirando por todos os lados. Brincadeiras à parte, quero fazer uma lembrança a algumas pessoas que diminuíram as diferenças entre os fronteiriços argentino/uruguayos/paraguayos/brasileiros, entre eles é lógico citarei alguns com os quais convivi e conheci seus ideais de fraternidade entre os povos, literatos e semi-alfabetizados todos, empresários, curas, padres, prelados, pedreiros livres, artesãos, ferreiros, carpinteiros...
Justo Alex, Amauri Batista, que com sua típica simplicidade conseguiu erigir o Dia Internacional de Amigos, colocando gente pelas janelas nas duas noites de festividades com os representantes dos países "hermãos", shows de músicas, de danças de apresentações, trocas de regalos, homenagens e muitos abraços fraternos... isso existe é vero!
Constantin WEREMCHUK que aportou em Bonaires aos dezesseis anos de idade, veio do leste europeu, lá do pais frio, e fez uma incrível história. Relacionou-se com os maiores empresários de tecidos do Brasil, comprou e vendeu, experimentou toda sorte de negócios e deixou um legado internacional visível, palpável, a tal ponto que alguns anos fui a San Thomé na Republica Argentina e traçando um diálogo com um cidadão que fazia  uns quitutes e os vendia na rua, uns assadinhos de carne... perguntei-lhe: vos conheço de algum lugar! Puede, sí porque no? Da onde você é? falei, expliquei, pois é o mundico que hubicamos é mui chico, fui gendarme e percorri miles de quilômetros até El Soberbio,  conheci sua cidade e meu amigo Weremchuk, quase cai desmaiado. Pode isso?   noutro Pais encontro uma pedra quase polida que brilhou numa constelação chamada hoje de "amizade"...
Quissini doutro lado do Porto Grossman, plantador de té, erva mate, extrator e exportador de madeiras, tudo ia pelo rio para embarque em Bonaires aos navios europeus... Antenor de BOER, que foi intendente de Obera, um dos melhores e mais sadios discursos que até hoje ouvi, na inauguração de uma Ruta (rodovia federal) que vai até a Foz do Iguaçu, presenteou-me com várias obras sobre o Peronismo...
Tivemos muitos próceres que aqui aportarem, alguns anônimos como Oskar DEPETRIS, hoje em Bonaires, em função importante...faziam obras nos bastidores porque lá e cá havia ditadura, mas no crucial da época fomos até Leandro Nicéfaro ALLEN participar de uma Olimpíada de Estudantes Secundários, desfilamos na Avenida, no dia pátrio, com nosso estandarte o qual tive o prazer de ombrear, Juliana de Paula com a bandeira da nossa Escola e Martha HAPPER com a Bandeira da Pátria Argentina...os frutos desses relacionamentos  ficaram maduros, e por fim o Mercosul foi inventado nas regiões missioneiras, dos quatro países, onde tivemos e ainda temos relacionamentos profundos como o nosso Regimento San Martin, em homenagem - uma troca de experiências - entre os exércitos de ambas pátrias... Oportunamente se lembrar vou contar umas outras pequenas histórias de gente famosa que aqui habitou, fugiam das guerras? Vieram espionar? Vieram ajudar ou se esconder?
Vejam uma postagem que fiz sobre o Saint Clair...o homem misterioso.

Comentários

Abílio dos santos Veiga disse…
andanças; sabores e saberes...
Fico feliz quando alguém se manifesta, obrigado!

Postagens mais visitadas